Projeto de Vida de Jovens Moradores de Paraisópolis

Olá meu nome é Camila Pereira, tenho 17 anos e sou uma jovem moradora de Paraisópolis. Irei contar a você um pouco do projeto que desenvolvi com o apoio e incentivo da escola Alef Peretz, que me proporcionou experiências valorosas e memoráveis.

Paraisópolis é uma das maiores favelas de São Paulo, tendo hoje mais de cem mil habitantes, dentre eles, jovens cheios de potencial, que se limitam por conta do lugar onde vivem, criando “barreiras” em seus objetivos fazendo com que estes jovens não tenham uma perspectiva de vida, ou seja, a ausência de um projeto de vida.

Mas, o que é um projeto de vida? O projeto de vida é a maneira como escolhemos estar e viver no mundo, é algo envolvente, desafiador que se torna uma preocupação central para o indivíduo, algo que o sustente e o motive no decorrer da juventude e da vida adulta. O projeto de vida ao ser bem definido, auxilia o jovem a ter uma noção dos desafios e metas que terá durante a sua trajetória, contribuindo para lidar com as incertezas e instabilidades da atualidade.

A partir deste conceito, que abrange questões como identidade, valores e juventude, que a minha pesquisa se constitui, cujo o tema é “Projeto de Vida de Jovens Moradores de Paraisópolis”, onde tive como objetivo conhecer os projetos de vida dos jovens e analisar quais eram os valores e sentimentos que constituem estes projetos.

Porque escolhi esse tema
Escolhi este tema porque eu sou uma jovem que mora em Paraisópolis e sei que assim como eu, muitos jovens criam “barreiras” e dificuldades em seu caminho por conta do ambiente em que vivem, onde não dispõem de recursos adequados voltados para a educação, moradia, saúde, entre outros necessários para um bom desenvolvimento. Muitos jovens apresentam um certo desinteresse quando questionados sobre seus projetos de vida, isso porque não há tantas iniciativas sociais que abordam a importância de se ter um projeto de vida. Este tema fica mais relevante ao pensarmos o número de jovens que abandonaram a escola para trabalhar porque precisam ajudar as suas famílias nas despesas casa, nos jovens que deixam de estudar para praticar atividades criminosas e aqueles que nem estudam e nem trabalham e vivem em um constante estado de estagnação. Situações assim são comuns, ainda mais em lugares mais pobres, como Paraisópolis. Isso não significa que o lugar onde moramos determina quem somos, porque isto é determinado pelo próprio ser humano.

Importância
Assim como grandes obras, construções e empresas precisam ser planejados, estudados e acompanhados para alcançar um bom resultado, na vida de uma pessoa não é diferente. Se uma pessoa planeja sua vida traçando metas e objetivos, ela pode ter resultados surpreendente. Isso porque um projeto de vida bem feito tem o poder de mudar e auxiliar a vida de inúmeras pessoas.

Resultados

Em maio de 2017, foi aplicado um questionário aberto para vinte e oito jovens estudantes de uma escola pública da comunidade de Paraisópolis (São Paulo) com questões referentes à identidade e ao projeto de vida dos jovens. O questionário seguiu o modelo elaborado pelo pesquisador Willian Damon da Universidade de Stanford e validado no Brasil pelas pesquisadoras Valéria Arantes e Hanna Danza, da Universidade de São Paulo. Cada questionário foi analisado de forma integrada, buscando compreender a dinâmica geral de organização do pensamento do jovem sobre seu projeto de vida, a partir dos conteúdos e significados apresentados por ele e dando ênfase à identificação dos valores e sentimentos. A partir desta primeira análise, identificamos certas regularidades e padrões nas respostas, os quais nos permitiram chegar em categorias. Os resultados, no processo final de análise, indicam que muitos (as) jovens não possuem clareza sobre seu projeto de vida ou apresentam projetos indefinidos, sem conexão com ações presentes e metas a serem cumpridas. Alguns deles expressam sentimentos negativos relativos a si mesmos e ao seu futuro. A família, os estudos e o trabalho apareceram como valores centrais entre esses jovens. Em geral, a família e estudos se mostraram mais importantes para a maioria deles. Além disso, os (as) poucos jovens apontaram problemas sociais mas não vincularam esses problemas aos seus projetos de vida. Muitos jovens tem uma perspectiva de vida, mas não sabem que essa projeção é um projeto de vida. Durante a análise de dados, foi possível identificar projetos de vida superficiais, ou seja, projetos com pouca elaboração, que não explicam o que deve ser feito para realizar o projeto de vida. Ao finalizar a categorização, de vinte e oito questionários, apenas um possui um projeto de vida consistente, doze jovens possuem projetos frágeis e treze possuem um projeto incerto.

Como foi participar de feiras de ciências

Através do meu projeto, tive a oportunidade de participar da 32ª Mostratec (Mostra Internacional de Ciência e Tecnologia) e da III edição da Mocica (Mostra Cientifica do Cariri) que me proporcionaram novas experiências inesquecíveis e memoráveis, onde tive contato com culturas de diversos países e regiões do Brasil. Na Mostratec ganhei o prêmio de terceiro lugar na área de ciências sociais e uma credencial para a Mocica, onde também ganhei uma credencial para participar da MCTEA (Mostra internacional de Ciências e tecnologia da Escola Açaí). Essas vitórias não foram só minhas mas sim de toda a Paraisópolis e de todos os jovens que compartilharam seus projetos de vida comigo, pois foi através destes que pude trazer a relevância e a importância de ter um projeto de vida.

Conclusão
Pretendo ampliar o meu projeto na faculdade para que eu possa proporcionar meios e táticas para que o tema projeto de vida seja abordado nas escolas e que eu possa desenvolver atividades que motivem os jovens a pensarem sobre o seu próprio futuro. Muitas vezes os jovens ouvem que eles são o futuro do Brasil, mas como isso é possível sendo que nem os próprios jovens pensam sobre o futuro deles? É muito importante ter um projeto de vida porque é ele que nos da uma direção para onde seguir, um leme. O Meu anseio é que os jovens não desistam dos seus sonhos, mesmo que seja difícil de alcança-lo. Por fim, vale a pena lembrar que ninguém nunca mudou o mundo fazendo o que o mundo disse para eles fazerem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *