Estudo de Campo – 9º ano

Brasília foi o destino do estudo de campo do 9o ano. A viagem teve como tema “Modernidade e a construção da identidade nacional”, porém a experiência dos alunos foi muito além disso. Leia abaixo o depoimento de duas jovens

Eu lembro muito bem quando me disseram que minha escola iria se juntar com outra , naquela época eu nem imaginava o que estava por vir . Três anos depois , após ter passado por diversos estudos de campo e manhãs de mau humor na escola , posso dizer que virei outra pessoa , uma outra mulher .
Brasília foi um lugar que eu também me transformei , como uma cidadã brasileira e como uma adolescente .
Esses 7 dias em Brasilia foram intensos , todos os passeios ,visitas aos ministérios , STF , salão verde e a votação da previdência e embaixada israelense , foram marcantes.
O último dia em Brasília foi o mais marcante. Quando fomos visitar a UNB, pude perceber que mesmo em Brasília , a capital do país , uma universidade do governo precisa ser mantida pelos próprios alunos . Nesse dia também pode perceber que a nossa série amadureceu muito nessa viagem e se uniu demais; quando tivemos um fechamento , na universidade mesmo , não me aguentei , comecei a chorar e chorar. Também não entendi muito o porque , eram tantos sentimentos ao mesmo tempo , tristeza que a viagem estava acabando , felicidade de poder ter conhecido melhor a minha série , angústia de conhecer melhor a política do país , etc .
A embaixada de Israel também é um outro lugar que eu gostaria de falar um pouco. Para mim , uma mulher judia , é muito importante saber que no meu país a minha segunda casa pode ser reconhecida. Eu já tinha viajado para Israel , mas entrar na embaixada e ouvir os funcionários se comunicando em hebraico foi emocionante .
Para finalizar esse texto , eu só queria agradecer , agradecer os meus amigos , os meus professores e a todos que fizeram parte de tudo isso que eu falei !! Muito e muito obrigada por tudo !!!
Luana H

 

A saudades da capital é imensa.
Vou adimitir que do dia 4 ao 11 de agosto eu mudei muito como pessoa, como brasileira e como estudante. Foram os melhores dias que eu já passei com essas pessoas maravilhosas que eu conheci esse ano nessa minha nova escola.
Não lembro muito bem tudo que fizemos e a ordem que fizemos, sei o que me marcou. Me marcou ir na catedral e sentir luz, fé, esperança e presença da mulher em um lugar só, ir a caça aos deputados no anexo quatro do congresso e ter a oportunidade de conversar com quem se diz representante do povo.
Ir no STF e ver uma votação sobre a soltura do Lula e ao mesmo dia conseguir entrar na Câmara dos deputados e ver uma votação sobre a reforma da previdência ou seja, ver pessoas, corruptas ou não, decidindo meu futuro, foi algo que realmente me marcou. Ao sair da Câmara eu desmoronei, chorei e chorei e o que mais me fez feliz foi ver que consegui criar vínculos com essas meninas e meninos incríveis que eu tenho o prazer de ver todos os dias de manhã (mesmo estando sempre de mau humor).
Para mim, foi incrível poder ver as influências da capital, Oscar Niemeyer, Athos Bulcão, Lúcio Costa, etc e ver como mesmo no lugar de estrema justiça, existe injustiça.
O melhor dia pra mim foi o último dia em Brasília, quando fomos à UNB e a embaixada israelense. Eu nunca estive em Israel mas estive lá na embaixada e me senti amparada, parte de um povo, acolhida. Na UNB senti que pude conhecer melhor uma faculdade e como os estudantes deixam suas marcas lá dentro.
Nesse mesmo dia tivemos uma conversa de fechamento do estudo e de um ciclo, mesmo eu não estando presente em todo esse ciclo eu pude fazer parte dele e isso me deixa muito feliz, poder fazer parte da vida de cada aluno do nono ano de 2019 da escola Alef Peretz.
Essa viagem foi esclarecedora, foi intensamente bonita. Todos nós mudamos, brigamos e nos amamos muito e toda essa tensão se quebrou em Pirenópolis, um lugar mágico no qual eu sinto muito por ter ficado apenas um dia , mas garanto que aproveitei demais! Queria que essa viagem voltasse mil e uma vezes pra que eu pudesse aproveitar mais mil e a vezes, só tenho que agradecer à coordenação e aos professores e principalmente aos meus novos amigos! Muito obrigada!

Julia C.

.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *