Equipamentos e conexão para alunos de Paraisópolis

Durante o período de isolamento social, as aulas foram transpostas para dentro das casas dos alunos. Na Alef Peretz, entendemos que a manutenção da rotina escolar é essencial para garantir a estabilidade emocional e afetiva das crianças e jovens. Desde o início da pandemia, optamos por proporcionar uma grade horária estruturada, com aulas pelo aplicativo Zoom onde os alunos se encontram, aprendem e tiram dúvidas com os professores.

Para viabilizar as aulas remotas para os alunos da unidade de Paraisópolis, os desafios foram ainda maiores já que a maioria dos alunos não dispunha de infra-estrutura necessária.

Veja, abaixo, matéria veiculada no site da N’nai B’rith que conta como superamos esses obstáculos.


Iniciativa garante aulas online para alunos de Paraisópolis

A pandemia do coronavírus mudou a vida de milhões de estudantes em todo o mundo.

As escolas estão fechadas e o sistema de ensino teve que se readequar.

A alternativa encontrada pela Escola Alef Peretz – uma das mais prestigiadas instituições de ensino da comunidade judaica paulistana, que fica dentro do tradicional Clube A Hebraica (SP) – para manter os alunos em atividade desde o início do isolamento social, foi programar aulas online.

Mas como dar continuidade ao ano letivo para os jovens da Alef Peretz, localizada na comunidade de Paraisópolis?

A unidade é uma iniciativa social implantada pela instituição e beneficia mais de 100 estudantes do ensino médio, entre 15 e 17 anos. Esses alunos recebem estrutura, ensino de qualidade e o mesmo corpo docente da unidade educacional localizada no Clube A Hebraica.

Segundo o diretor da escola, Marcelo Davidovic, o desafio foi equipar os alunos com tecnologia para acompanharem as aulas, que acontecem diariamente das 8h às 12h. “Para os estudantes da unidade A Hebraica, não houve problemas.

A tecnologia faz parte da realidade deles. Nossa preocupação estava em respaldar os jovens de Paraisópolis para terem a mesma estrutura em casa. E, felizmente, fomos beneficiados com duas doações muito importantes de empresas parceiras. A primeira nos beneficiou com 83 tablets, equipados com teclados e fones de ouvido.

A outra, uma doação de aproximadamente 20 notebooks. No entanto, tínhamos mais desafios pela frente, entre eles estava a internet”, conta Davidovic.

Esbarrar em uma conexão de internet ruim para dar continuidade aos estudos tem sido a realidade de muitos estudantes brasileiros no isolamento social. “A Alef Peretz tentou, inicialmente, resolver a questão contratando um plano de banda larga para cada um dos alunos. Porém, eles só conseguiam se comunicar por áudio, não realizavam a conexão por vídeo. E, o vídeo, é essencial nesse caso. Decidimos contratar o serviço internet rápida de uma operadora local. É muito importante que nesse sistema de aula virtual os alunos possam ver os professores, os professores os alunos e haja interação entre todos”, explica o diretor da escola.

Outro ponto importante para o sucesso do sistema online de ensino é o ambiente adequado.

As famílias mais carentes, muitas vezes, dividem pequenos espaços de moradia, o que não permite ao aluno dedicação à aprendizagem. “Para os jovens que não tinham realmente como estudar em casa, abrimos a escola. Abrigamo-os em ambientes seguros e isolados. Outra questão importante: onde há fome não há aprendizado. Para resolver isso, iniciamos outra ação. Arrecadamos aproximadamente R$ 45 mil para a compra de cestas básicas para as famílias desses alunos, além de doações de roupas e produtos de limpeza”, conta Davidovic.

A coordenadora da Alef Peretz Paraisópolis, Nancy Nery, relata que depois de superados os desafios para a implantação do ensino a distância, os professores iniciaram as aulas com a participação efetiva de todos os alunos. “Com o tempo, os estudantes se habituaram ao novo sistema. Criaram uma rotina. Eles assistem ao conteúdo, podem tirar dúvidas em particular com os professores pelo chat, realizam provas e simulados, já que muitos estão se preparando para o ENEM e desejam concorrer a vagas em instituições de ensino superior. Vale ressaltar que, além do conteúdo programático, é essencial que esses jovens se vejam enquanto grupo. Estão isolados, mas têm a oportunidade de compartilhar as aulas juntos. Esse também é nosso objetivo: criar perspectivas por meio do conhecimento para que enfrentem positivamente esse momento.”

Para contribuir ainda mais com a qualidade de vida dos alunos em isolamento social, a escola ainda oferece atendimento psicológico àqueles que precisam de ajuda para entender melhor a pandemia. “Muitos deles têm a escola como uma possibilidade de interação social. O distanciamento acaba sendo muito difícil.

Queremos que esses jovens se sintam fortalecidos”, explica Nancy.

“Entendemos que a chave de mudança social, cultural e econômica é a educação. Em 2019, mais de 70% dos nossos alunos de Paraisópolis conquistaram vagas em instituições públicas como USP, UNESP, UNICAMP e UNIFESP. Eles tiveram resultados excepcionais e agarram essa oportunidade com todas as forças”, finaliza, com alegria, Davidovic.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *