NOSSA HISTÓRIA

Para entender quem somos, é necessário voltar no tempo e contar a nossa história em capítulos. Uma história que precisou de pessoas corajosas e visionárias, que acreditaram na importância da educação e que foram em busca de seus sonhos e crenças para realizar
projetos, mudanças, construções.

Ao longo de todo esse tempo, fomos e seguimos como uma escola comunitária e judaica que, mais que educar, procura inspirar reflexão com o propósito de contribuir para a construção de uma sociedade melhor.

Escola Israelita Brasileira Chaim Nachman Bialik
Em 1943, nascia o Bialik, em um anexo da Sinagoga Beth Jacob, na Rua Artur de Azevedo, em Pinheiros. Foi fundada por um grupo de imigrantes, nos moldes do tradicional cheder, modelo de ensino mais ortodoxo, onde os rabinos ministram os primeiros ensinamentos. Começou com oito alunos, de diferentes idades, que partilhavam de um mesmo professor, o moré Karolinsky.

Na medida em que o número de alunos crescia, a escola era transferida para outros endereços, até que, concretizando o sonho de várias gerações, muda-se para a sua sede, à Rua Simão Álvares, onde permaneceu por muitos anos.

O nome homenageava o grande poeta e humanista Chaim Nachman Bialik que se tornou uma das principais vozes da história judaica.

Escola Antonietta e Leon Feffer (Escola Alef)
Em agosto de 2012, um grupo de idealistas, liderado por Alexandre Ostrowiecki (Nani) e David Feffer, promove uma grande transformação: o Colégio Bialik muda de nome e passa a funcionar em nova sede, dentro do Clube A Hebraica.

Em 2013, é criada a Unidade Paraisópolis, que oferece um Ensino Médio com a mesma qualidade e com o mesmo corpo docente de sua unidade na Hebraica.

O nome homenageia um casal benemérito, dedicado a várias atividades comunitárias. Leon Feffer foi um dos fundadores da Hebraica, do Hospital Albert Einstein e entre 1956 e 1981 exerceu o cargo de cônsul de Israel no Brasil.

Escola I.L.Peretz
Logo após a II Guerra Mundial, imigrantes judeus que moravam e trabalhavam na Vila Mariana, reuniam-se para ajudar os sobreviventes dos campos de concentração e coordenar o recebimento de doações que seriam enviadas para a HIAS (Hebrew Immigrant Aid Society), uma instituição filantrópica na Suíça.

Um grupo de idealistas, percebendo a necessidade de um local que fosse, ao mesmo tempo, comunitário e religioso, convidou Bernardo Guertzenstein para presidir a sociedade que seria fundada. Assim, em 1948, nasce a Acrelbi – Associação Cultural Religiosa Brasileira Israelita da Vila Mariana. Em 1951, é feito o registro oficial da escola e da sinagoga. Assim como no Bialik, alunos de diferentes idades conviviam e, na medida em que o número de alunos aumentava, as turmas se formavam e novos endereços foram sendo criados.

O nome da escola homenageava Isaac Leib Peretz, mais conhecido como I. L. Peretz, um grande escritor, poeta e teatrólogo de língua iídiche da Polônia.

Escola Alef Peretz
Sustentadas pelos valores judaicos enraizados em ambas as escolas, em 2017 surge a Escola Alef Peretz com o intuito de aprimorar o projeto pedagógico de uma escola capaz de atender às demandas educacionais do século XXI.

Somos imensamente gratos a todos que, com muito amor, generosidade e dedicação construíram as bases para que essa escola pudesse existir. Que possamos ter a honra de continuar ensinando toda a riqueza desse legado para as próximas gerações.

עם ישראל חי